Diferença do Marketing Inbound E Outbound

Inbound x Outbound

Uma pessoa em média está exposta a entre 6.000 e 10.000 mensagens publicitárias por dia, quase duas vezes mais do que o ano anterior.
Sim, isso inclui tudo, desde anúncios de TV e sinalização externa até anúncios de rádio e anúncios digitais na Internet e nas mídias sociais. Isso é muito competitivo para a atenção de seus potenciais consumidores.
É o suficiente para que os comerciantes B2B se perguntem: “Como eu chego aos indivíduos com quem preciso falar?” e “O que eu poderia mencionar para que eles comprem?”.

Hoje, existem essencialmente 2 táticas diversas que os especialistas em marketing utilizam para atingir os consumidores potenciais que necessitam: marketing de entrada e marketing de saída (ou “clássico”). Vejamos as diferenças fundamentais entre os dois.

inboun x outbound

Qual a Diferença Entre o Marketing Inbound e Outbound?

Marketing Inbound

Envolve os leitores interessados.
Resolve as necessidades dos clientes.
É interativo com os leitores.
À medida que o conteúdo efetivo é consumido, os membros da audiência são transformados em consumidores potenciais.
Onde é visto: websites, blogs, e-books, e-mails opt-in, SERPs, redes sociais.

Marketing Outbound

Leva a mensagem a todo o planeta.
Escrito para vender produtos.
Comunicação unidirecional.
Interrompe o conteúdo sendo consumido.
Onde é visto: comerciais de TV, outdoors, anúncios pop-up na Internet, telemarketing, revistas.

O que é Outbound Marketing?

O Outbound Marketing, também conhecido como marketing de “interrupção” ou “push”, utiliza estratégias que levam uma mensagem a um enorme conjunto de indivíduos em um esforço para comercializar.
A publicidade impressa/TV/rádio, a chamada chamada a frio, mala direta, e-mails em massa e outros procedimentos visam um enorme conjunto de indivíduos (a maioria dos quais não está nem mesmo procurando o produto do comerciante).
É uma conversa de mão única que muitas vezes se concentra no produto e por que o público deve comprá-lo.

As Desvantagens do Outbound Marketing

O enorme problema do marketing clássico é que, para ser apropriado para o maior número de indivíduos, a mensagem deve ser bastante geral.
Há outras razões pelas quais o marketing clássico não está funcionando hoje em dia:
0% dos telespectadores pesquisados fariam o esforço de procurar e baixar programas de TV para contornar os comerciais2.
Com o crescente número de serviços de transmissão de TV online, os comerciais de TV têm o potencial de serem ignorados, e nenhuma impressão pode ser feita sobre a audiência se eles tiverem sintonizado.
Os serviços de melodia digital e rádio via satélite facilitam para os ouvintes evitar a publicidade na rádio.
No último mês de 2019, Spotify tinha, sozinho, 271 milhões de usuários ativos3. O rádio não possui o efeito de outrora.
58% dos destinatários de mala direta nunca leram ou escanearam suas peças de mala direta4. Famosamente conhecida como “junk mail”, esta estratégia tem baixa eficácia.
O indivíduo médio é bombardeado com bem mais de 1.700 propagandas por mês, mas só vê metade delas5. Não é exatamente um estrondo monumental por seu dinheiro.
O trabalhador médio do escritório recebe 120 e-mails por dia6, e 55% de todo esse e-mail é spam7. Conseqüentemente, a população espera não ver a maioria dos e-mails.
A produção de mensagens no momento não é eficaz, pois seu público tem possibilidades e maneiras de evitá-las. Os especialistas em marketing que ainda utilizam estratégias de saída perguntam: 1) “Como temos a capacidade de alcançar os consumidores que procuram nossas próprias soluções?” e 2) “O que é preciso para transformar esses potenciais clientes em clientes?”. Dica: O Google processa mais de 3,5 bilhões de buscas por dia.

O que é Inbound Marketing?

Onde o marketing de saída envia mensagens para um amplo público, o marketing de entrada é “magnético”.
Em vez de enviar mensagens gerais para um público desinteressado, o marketing de entrada permite atrair seus principais consumidores potenciais, aqueles que estão ativamente buscando resoluções na Internet.
Uma vez que eles chegam ao seu site, esses clientes potenciais descobrem ajuda, orientação e educação diretamente relacionadas à pesquisa que continuam a fazer on-line.
O núcleo do marketing de entrada é o conteúdo: conteúdo do blog, conteúdo de vídeo e conteúdo para download (ou “avançado”) oferecido no website de uma organização, tais como white papers, guias, e-books, folhas de dicas e outros. Uma vez utilizada uma abordagem inbound, os marqueteiros desenvolvem este conteúdo para alinhar-se com aspectos específicos da jornada do cliente:
No início de sua jornada, o cliente está se familiarizando com o problema e com as prováveis resoluções.
No meio, ele está comparando um conjunto minúsculo de resoluções potenciais.
No final de sua jornada de compra, ele está realizando a devida diligência elementar para fazer uma escolha final.
E depois há a experiência real do comprador, onde consumidores satisfeitos têm a chance de se transformar em promotores.
Há tipos de conteúdo que se encaixam perfeitamente em todas estas fases. Ao criá-los e entregá-los através de seu website, seu blog e seu conteúdo avançado, você está atendendo às necessidades de informação que os consumidores em potencial têm em todos os pontos de sua jornada.
E, como a jornada é feita de forma monumental on-line (62% dos consumidores B2B dizem que provavelmente farão uma escolha de compra baseada apenas em conteúdo digital9), eles encontrarão conteúdo importante uma vez que pesquisarem.

Um exemplo de Marketing Inbound em Ação

Você é o gerente de instalações de uma empresa de construção de tecidos e decidiu que chegou a hora de obter uma esteira transportadora novinha em folha para a linha de produtos XYZ da empresa.
Seu primeiro passo na comercialização de um novo equipamento é pesquisar na Internet para descobrir o que é possível. Com certeza, você Google “sistemas de esteiras transportadoras com melhor desempenho”.
Entre os resultados aparece um e-book intitulado “5 Maneiras de um Transportador Cilíndrico Otimiza a Produtividade e o Desempenho”. Você clica no link, vai ao blog de um distribuidor e o lê. Ele tem algumas grandes informações. Finalmente, a partir do acesso ao blog, há uma oferta de conteúdo para download, além do desempenho da esteira transportadora, de modo que você fornece seu endereço de e-mail em troca do conteúdo.
Agora você é um comprador potencial no sistema desse provedor. O distribuidor pode enviar-lhe ofertas de conteúdo extra e úteis para atrair ainda mais você para o funil de vendas.
Como gerente de instalações, você está ansioso para se envolver com este distribuidor, pois agora você tem provas da experiência desta organização. Você também aprecia as informações efetivas que eles lhe forneceram ao estimar suas perspectivas.
Vê como funciona? Enquanto o marketing clássico envia mensagens gerais para um grande (e geralmente desinteressado) público, o marketing de entrada cria e entrega conteúdo desenvolvido especificamente para diversos públicos, importante para várias etapas de sua jornada de compra.
Os consumidores potenciais são atraídos por esse conteúdo à medida que pesquisam sobre seus desafios, e quando o encontram no site de um fornecedor, eles se envolvem em um diálogo com o fornecedor.
Ainda não está convencido do poder do marketing de entrada? Leia estas 15 estatísticas que demonstram o valor do Inbound Marketing. Não é apenas um artigo de dados, mas ajuda a entender como as campanhas de marketing de entrada conseguem um maior ROI do que as técnicas de saída, independentemente do tamanho da organização, da geografia ou do orçamento.

inbound
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp